Telma

Mulheres de São Paulo

A Prefeitura presente na sua vida.

Conheça a Luquinha

Capa
Conheça a Luquinha
Texto

A bióloga Lucia Figueiredo, de 60 anos, já perdeu as contas das vezes em que foi chamada de “maluquinha”. Culpa do seu jeito cheio de energia e arrojado que virou sua marca registrada e que ela incorporou ao seu nome profissional: LuQuinha Figueiredo. Dona de um bom humor contagiante, essa paulista nascida na cidade de Assis, interior do Estado, coleciona histórias que comprovam quantas vezes ela se reinventou na vida.

Professora de piano para jovens com deficiência por quase três décadas, ela resolveu fazer faculdade de biologia aos 33 anos para entender como conseguiria unir suas duas grandes paixões – a música e a natureza. “No terceiro ano, um professor virou parceiro do meu projeto de levar jovens estudantes de música para passeios e acampamentos em áreas verdes”, diz.

Todos esses planos foram bruscamente interrompidos no ano de 2014. Em menos de três meses, ela perdeu seu irmão, um cunhado querido e a mãe. “Isso me paralisou e entrei em um processo depressivo terrível”, lembra. “Procurei ajuda em tratamentos terapêuticos, mas estava difícil voltar a ser a LuQuinha de sempre.”

Até que, em 2016, uma amiga a convidou para conhecer o projeto da Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura da Paz (UMAPAZ), desenvolvido pela Secretaria do Verde e do Meio Ambiente. Lá, ela começou a fazer um curso de jardinagem que a ajudou a cultivar de novo a alegria em sua vida. “Consegui resgatar a importância da biologia na minha trajetória, voltei a ter contato com pessoas com necessidades especiais e, cada dia que eu ia, recuperava um pouco de mim”, conta ela, emocionada. “A velha LuQuinha voltava a viver”.

Foi em contato com as plantas que LuQuinha teve uma ideia. Convidou o amigo e ator Luciano Quirino para montar com ela o projeto Dupla Visão, que reúne fotos da natureza clicadas por Quirino e textos que refletem as sensações da bióloga ao ver as imagens. O trabalho virou uma exposição que, no ano passado, foi apresentada em uma unidade do Senac em São Paulo, na sede da FMU - Faculdades Metropolitanas Unidas e na própria UMAPAZ. “O próximo passo é reunir o material em um livro e complementar com informações científicas das plantas retratadas”, conta ela.

 

UMAPAZ

A UMAPAZ – Universidade Aberta do Meio Ambiente e da Cultura de Paz, Departamento de Educação Ambiental da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), desenvolve e dissemina conhecimentos e práticas de educação para a sustentabilidade, alicerçados no respeito à vida e inspirados na Carta da Terra.